Espalhe por ai:

Relatos de uma suposta venda de vacinas a R$ 50 em diversas localidades da capital do Rio de Janeiro culminou em uma investigação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Polícia Federal. Uma foto que circula nas redes sociais mostra uma embalagem de um imunizante chinês, produzido pelo Instituto de Produtos Biológicos de Pequim.

O produto seria, portanto, de um laboratório diferente daquele que fez tratos com o governo de São Paulo, o Sinovac Biotech, que produz a CoronaVac em parceria com o instituto Butantan. “A questão está sendo investigada pela Anvisa e pela Polícia Federal”, informou a Anvisa, acrescentando não poder, por enquanto, oferecer mais detalhes sobre o caso.

A agência reguladora pede atenção para o fato de que ainda não há vacina liberada no Brasil e que, se houver comercialização no país de produtos que dizem ser contra covid-19 com a embalagem da Sinopharm em camelôs, websites ou quaisquer outros meios, tratam-se de materiais falsos ou que entraram no Brasil ilegalmente.

“Qualquer comercialização ou aplicação de vacina de covid-19 hoje no Brasil é atividade irregular e oriunda de falsificação, pois não há vacinas autorizadas no Brasil ainda”. “As vacinas que foram importadas estão com as instituições de pesquisa e somente os voluntários selecionados para as pesquisas puderam ser vacinados. Ainda assim, a vacina da Sinopharm não tem pesquisa no Brasil e por isso não entrou no país”, completou.

 

FONTE: Oliberal

Espalhe por ai:
https://www.braganews.com.br/wp-content/uploads/2020/12/2.jpghttps://www.braganews.com.br/wp-content/uploads/2020/12/2-150x150.jpgDa redaçãoSaúdeRelatos de uma suposta venda de vacinas a R$ 50 em diversas localidades da capital do Rio de Janeiro culminou em uma investigação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Polícia Federal. Uma foto que circula nas redes sociais mostra uma embalagem de um imunizante chinês, produzido...