Espalhe por ai:

Duas paraenses atingiram nota máxima (mil pontos) na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, que contou com mais de 2,7 milhões de candidatos. Sofia Lorenzoni Vale, de 19 anos, de Belém, e Isabella Pereira Gadelha, de 18, de Castanhal, estão entre os 28 participantes da edição deste ano que atingiram essa nota máxima diante do tema “O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira”.

Para Sofia, o diferencial foi usar como base a leitura do livro “O Papel de Parede Amarelo”, da americana Charlotte Perkins Gilman. “Eu me lembrei logo desse livro, porque ele conta a história de uma mulher que sofre de transtornos psicológicos e não é entendida pelo marido, que, mesmo sendo médico, se recusa a enxergar a gravidade de sua situação. Esse contexto era perfeito para o recorte estigma”, explicou Sofia, que se preparou em um cursinho específico para vestibular e outro para redação.

Livro “O Papel de Parede Amarelo” serviu de base para a redação de Sofia Livro “O Papel de Parede Amarelo” serviu de base para a redação de Sofia (Thiago Gomes / O Liberal)

O bom desempenho já vem de um histórico de aprovações. Em 2018, ainda no 2º ano do ensino médio, a estudante foi aprovada em Medicina no Centro Universitário do Pará (Cesupa), ainda como treineira. Em 2019, no convênio, passou novamente no Cesupa, também em Medicina, mas decidiu aguardar a chance em uma instituição pública. Em 2020, houve a aprovação em Medicina na Faculdade Israelita de Ciências da Saúde Albert Einstein, em São Paulo, onde ela já está matriculada para o segundo semestre.

Agora, ela aguarda o listão de Medicina da Universidade Federal do Pará (UFPA) e da Universidade do Estado do Pará (Uepa) para escolher onde vai cursar a graduação. “Desde pequena, quero ser médica, primeiramente por influência do meu pai, que é anestesiologista e, posteriormente, conforme fui amadurecendo, esse passou a ser meu sonho também”, contou ela, que, por enquanto, está cogitando a possibilidade de se especializar em psiquiatria.

Candidata de Castanhal quase não fez a prova

Sonhando com o curso de Psicologia, quase Isabella Pereira Gadelha ficou de fora da lista com boas notas na redação desse ano. Ela pensou em desistir do Enem, mas mudou de ideia graças ao incentivo da família. “Pensei em desistir, mas só segui em frente por conta da insistência dos meus pais. Daí, comecei a estudar num cursinho no meio de 2020, apesar dos muitos desafios por causa da pandemia”, relatou.

Isabella fez o Enem graças ao incentivo da família Isabella fez o Enem graças ao incentivo da família (Reprodução)

Ela concluiu o ensino médio em 2019, quando fez o Enem pela primeira vez e tirou 920 na redação. No entanto, a aprovação no vestibular não veio. Agora, com mil, aguarda o resultado da UFPA para o curso de Psicologia. “Acredito que me dei bem no tema da redação porque era justamente sobre Psicologia, um tema amplo pelo qual sempre me interessei. Difícil falar em 30 linhas, mas pareceu mais fácil porque conheço filmes e livros dessa temática”, concluiu.

FONTE: Oliberal

Espalhe por ai:
https://www.braganews.com.br/wp-content/uploads/2021/03/paraenses-1024x512.jpghttps://www.braganews.com.br/wp-content/uploads/2021/03/paraenses-150x150.jpgDa redaçãoEntretenimentoDuas paraenses atingiram nota máxima (mil pontos) na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, que contou com mais de 2,7 milhões de candidatos. Sofia Lorenzoni Vale, de 19 anos, de Belém, e Isabella Pereira Gadelha, de 18, de Castanhal, estão entre os 28 participantes da edição...