Espalhe por ai:

Nesta terça-feira (1º) é o Dia Mundial de Combate à Aids. A data tem como finalidade primordial alertar toda a sociedade sobre a doença. No Pará, somente ano passado 2.301 pessoas foram diagnosticadas com HIV, enquanto que, até outubro deste ano, outras 1.355 já haviam iniciado tratamento para controle do vírus. No ano passado, 769 pacientes manifestaram sintomas da Aids. E, até outubro de 2020, outros 288 desenvolveram a doença, segundo dados do Ministério da Saúde.

A Secretaria de Saúde de Estado (Sespa) informa ainda que 58.39% dos casos registrados são entre heterossexuais, seguidos de 20,5% entre homossexuais e 6,3% dos casos entre bissexuais. Os dados também apontam que a faixa etária com maior incidência é de 30 a 39 anos, seguida de pessoas entre 20 e 29 anos e, por fim, de 40 a 49 anos.

No Pará, nos últimos 100 dias, 21.285 pessoas efetuaram retirada de antirretrovirais para tratamento de HIV e Aids no Pará, afirma a Sespa. Em Belém, capital paraense, 12.929 pessoas estão cadastradas e fazem tratamento para Aids todos os meses.

Ainda segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma), a faixa etária que mais prevalece ao vírus é entre 20 e 34 anos de idade, com 281 novos casos confirmados em 2020. Em seguida, a faixa etária de 35 a 49 anos, que notificou mais 140. A terceira faixa etária que mais prevalece o vírus é entre 15 e 19 anos, com 30 casos notificados confirmados em 2020.

Há quatro anos, em 2016, foram notificados 874 casos de Aids em Belém. Em 2017, mais 1.932 casos da doença foram confirmados. Já no ano de 2018 foram 1.583 novos casos. Em 2019, o número foi de 912. Já em 2020, de janeiro até esta segunda-feira (30), oram confirmados mais 510 novos casos de Aids entre residentes do município.

Campanhas

A Sespa atua como articuladora e facilitadora, além de discutir as estratégias usadas no âmbito da promoção à saúde. Neste ano, a Sespa informa que fará a campanha “Atenção, Cuidado e Proteção #PARAPREVENIDO”. O objetivo é promover o acesso ao teste, ampliar o número de pessoas que conheçam seu status sorológico e vincular o paciente com HIV à referência, bem como ofertar o tratamento imediatamente após o diagnóstico.

Em busca de diminuir e alertar sobre os casos na cidade, a Sesma inicia nesta terça (1º) a campanha Dezembro Vermelho, movimento mundial de prevenção ao HIV/Aids e outras infecções sexualmente transmissíveis, em parceria com o Ministério da Saúde.

A iniciativa visa intensificar as ações de divulgação e sobre a prevenção, controle, diagnóstico e tratamento para as Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs)/Aids, por meio da capacitação de servidores, palestras e testes rápidos para HIV, Sífilis e Hepatites B e C por meio das ações nas Unidades Municipais de Saúde (UMS), Estratégias Saúde da família (ESF), Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) e em entidades não governamentais.

A Sesma esclarece que contribui com a prevenção do vírus da Aids/HIV com a realização de palestras pelas equipes multidisciplinar das Unidades de Saúde, no “Programa Saúde na Escola” (PSE) e o “Projeto Viva Melhor Sabendo Jovem”, que representam um canal de comunicação aberta entre os jovens, família, escola e sociedade.

Além de ações de promoção, prevenção e diagnóstico, a partir da testagem para HIV, sífilis e hepatites B e C, capacitações para os servidores das Unidades de Saúde favorecendo o acolhimento dos jovens, e ampliação do acesso às ações e aos insumos sexual e reprodutivo (preservativos e contraceptivos), durante na todo tanto nas esferas governamentais, como não governamentais.

O que é o HIV?

HIV é a sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana. Causador da aids, ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças.

Ter o HIV não é a mesma coisa que ter Aids. Há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença. Mas podem transmitir o vírus a outras pessoas pelas relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento de seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação, quando não tomam as devidas medidas de prevenção. Por isso, é sempre importante fazer o teste e se proteger em todas as situações.

Como se adquire o vírus?

A Sesma informa que o vírus do HIV pode ser adquirido da mãe para bebê, através da relação sexual vaginal, anal ou oral sem proteção, pelo compartilhamento de agulhas e seringas, pela reutilização de objetos perfuro cortantes no geral, violência sexual ou acidente ocupacional, em todas as faixas etárias.

“Cada pessoa apresenta o vírus de uma forma, algumas silenciosamente e outras por meio de sintomas semelhantes aos da gripe, como febre, dor de garganta e fadiga. A doença costuma ser assintomática até evoluir para Aids”. Os sintomas da Aids incluem perda de peso, febre ou sudorese noturna, fadiga e infecções recorrentes.

Onde fazer testes e proxilaxia?

A Sespa orienta que a pessoa pode fazer o teste gratuitamente pelo SUS, em um dos 80 Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs) e em 30 Serviços de Assistência Especializada (SAE) em HIV/Aids existentes no Pará.

Além das Unidades Básicas de Saúde, que são vinculadas às Secretarias Municipais de Saúde. “Nesses centros, além da coleta e execução dos testes, há o aconselhamento para facilitar a correta interpretação do resultado pela pessoa com HIV, sempre com sigilo”, garante a Sespa.

Com relação à prevenção da doença, a Sesma informa que, em Belém, no caso de violência sexual ou acidente ocupacional, oferece serviço de atendimento especializado, para que seja administrado a PEP (Profilaxia Pós Exposição).

O serviço funciona todos os dias durante 24h nas cinco Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), no Hospital e Pronto Socorro Municipal Mário Pinotti (HPSM), Hospital e Pronto Socorro Municipal do Guamá (HPSM), e no Hospital Geral de Mosqueiro.

Já no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), localizado na avenida Tamandaré, n° 909, a PEP é realizada de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h. Para a realização da PEP é obrigatório que o resultado do teste rápido de HIV seja negativo.

São realizados também testes para HIV/Aids de segunda a sexta-feira em todas as Unidades Municipais de Saúde (UMS), das 8h às 17h, e no CTA, das 7h às 17h, de segunda a sexta.

Já o auto teste é distribuído em cinco UMS: Marambaia, Icoaraci, Sacramenta, Guamá e Maracajá, no Distrito de Mosqueiro, das 8h às 17h, além do CTA das 7h às 17h, ambos de segunda a sexta-feira, somente para grupos específicos.
Com relação ao tratamento, a Sesma informa que a Casa Dia, órgão responsável por atender pessoas portadoras da Aids/HIV, acompanha 12.929 residentes do município mensalmente, que recebem o tratamento adequado para o vírus.

“O espaço está funcionando dentro das normas de higienização e distanciamento social estabelecidas pelo Ministério da Saúde por conta da pandemia do novo coronavírus”, esclarece a Sesma. O horário é das 7h às 17h, de segunda a sexta-feira.

 

É possível evitar o HIV? Sim.

– Faça sexo sempre com proteção;

–  Não compartilhe agulhas e seringas;

– Não reutilize objetos perfuro cortantes no geral;

– No caso de violência sexual ou acidente ocupacional comunique às autoridades o quanto antes e procure atendimento especializado, para que seja administrado a PEP (Profilaxia Pós Exposição).

Assim pega:

Sexo vaginal sem camisinha;
Sexo anal sem camisinha;
Sexo oral sem camisinha;
Uso de seringa por mais de uma pessoa;
Transfusão de sangue contaminado;
Da mãe infectada para seu filho durante a gravidez, no parto e na amamentação;
Instrumentos que furam ou cortam não esterilizados.

Assim não pega:

Sexo desde que se use corretamente a camisinha;
Masturbação a dois;
Beijo no rosto ou na boca;
Suor e lágrima;
Picada de inseto;
Aperto de mão ou abraço;
Sabonete/toalha/lençóis;
Talheres/copos;
Assento de ônibus;
Piscina;
Banheiro;
Doação de sangue;
Pelo ar.

FONTE: Ministério da saúde

Espalhe por ai:
https://www.braganews.com.br/wp-content/uploads/2020/12/TESTE-HIV-GRATIS.jpghttps://www.braganews.com.br/wp-content/uploads/2020/12/TESTE-HIV-GRATIS-150x150.jpgDa redaçãoParáHIV,Pará,SaúdeNesta terça-feira (1º) é o Dia Mundial de Combate à Aids. A data tem como finalidade primordial alertar toda a sociedade sobre a doença. No Pará, somente ano passado 2.301 pessoas foram diagnosticadas com HIV, enquanto que, até outubro deste ano, outras 1.355 já haviam iniciado tratamento para controle...